subscribe img
Endereço:

80 Ladeira dos Barris,
Salvador, Bahia

Telefones:

Nossa homenageada, desta quarta-feira (26),  do quadro Banco de Talentos,  é a investigadora lotada na Delegacia de Atendimento à mulher( DEAM), de Brotas, Rosilda Correia de Almeida, 59 anos, que desenvolve um trabalho social há 23 anos com crianças e adolescentes no Areal da Ribeira, bairro de Salvador. Devido à preocupação   com os jovens que residem em "locais de risco", a  servidora   fundou a entidade " Ação Comunitária Santa Cruz Judô  Clube " com o objetivo de realizar um trabalho de inclusão social através do Esporte, da prática do judô. A instituição é registrada na Federação Baiana de Judô e na Confederação Brasileira de Judô e diversos alunos  que foram beneficiados com o projeto já conquistaram prêmios baianos, nacionais e internacionais.

É o caso da jovem Luana Maria que ingressou na entidade, aos 13 anos, foi campeã brasileira e ficou em terceiro lugar no campeonato Sul-Americano realizado no Equador. Através de uma parceria  firmada entre a entidade e a Faculdade  de Tecnologia e Ciências (FTC), a jovem lutou por um determinado período como representante da instituição  e, como contrapartida, foi contemplada com uma bolsa de estudos no curso de Direito. Atualmente, Luana Maria trabalha como advogada. 

Outro exemplo da inclusão social promovida pela entidade, é o caso do jovem Albert Ramon, que ingressou aos 13 anos na entidade, e, através de uma parceria  feita entre a "Ação Comunitária Santa Cruz de Judô Clube" e a FTC, foi contemplado também com uma  bolsa de 70% no curso de Enfermagem.  "Albert fez a graduação e hoje em dia trabalha como enfermeiro", pontua a idealizadora e fundadora Rosilda Almeida.

A servidora destaca que a finalidade do projeto consiste em afastar as crianças e adolescentes do " mundo das drogas". 
" Já abrimos nossas portas para muitos jovens. Não cobramos nenhuma taxa. O curso é totalmente gratuito e muitos jovens que passaram pela nossa entidade conseguiram diversos Prêmios na Bahia, a nível nacional e no exterior. Além de terem conseguido entrar na faculdade através das parcerias que construimos com instituições de ensino",  comemora a investigadora Rosilda Almeida, que possui apenas 4 anos de Polícia Civil, faixa preta 3º DAM, sete vezes consecutivas campeã baiana de judô e 10 vezes  campeã brasileira. 

A nossa policial que faz a diferença ressalta que o judô é um esporte de elite. " Por isso, eu tive a ideia de fundar a instituição para proporcionar uma oportunidade aos jovens que eu não tive na minha época. Esse  jovens não tinham  facilidade de acesso ao judô. Daí a importância de fazermos esse trabalho em uma área com jovens carentes da Ribeira", pontua Rosilda Almeida. Além dos treinos de judô, a servidora possui como hobbie viajar pelo interior baiano. Confiram reportagem abaixo do Globo Esporte que homenageia o trabalho desenvolvido pela investigadora da Polícia Civil:

http://globoesporte.globo.com/ba/videos/t/edicoes/v/conheca-um-projeto-social-comandado-por-uma-investigadora-de-policia/4524408/

COMPARTILHAMENTO: