Banco de Talentos: Escrivão de polícia leva alegria e informação a jovens e crianças de Canarana

Francisco Assis desenvolve o projeto há 9 anos, beneficiando crianças carentes de Canarana

Escrivão de Polícia, esposo, pai de um casal, palestrante e criador do projeto “Faça uma Criança Feliz”. Esse é Francisco de Assis Bispo dos Santos, nosso personagem dessa semana do quadro “Banco de Talentos”. Lotado, atualmente, na Delegacia de Canarana, vinculada a 14ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Irecê), Francisco está nos quadros da polícia civil baiana há 15 anos.

Aos 46 anos, torcedor do Flamengo e do Bahia, nosso personagem divide suas horas vagas entre a atenção à família, palestras para jovens e crianças e o projeto “Faça uma Criança Feliz”. Ele conta que a iniciativa é levada a cabo há nove anos, em a parceria com o Conselho Tutelar e a Polícia Militar e tem como finalidade arrecadar doações de brinquedos, roupas, calçados usados e alimentos e distribuir às crianças da cidade e da zona rural de Canarana, sempre no dia das crianças.

“É gratificante chegar às comunidades com brinquedos, roupas e calçados e presentear as crianças, porque sabemos das dificuldades que muitas famílias passam no nosso país e levar esse alento a eles não tem preço. É pouco para nós, mas muito para quem recebe e sai feliz da vida com o que recebeu”, define Francisco.

Aproveitando de sua vivência no combate ao crime, o escrivão Francisco Assis leva a escolas e outras instituições de Canarana palestras sobre temas ligados à prevenção às drogas e ao suicídio, saúde e a importância de concluir os estudos, por exemplo. Nosso principal foco é alertar para os riscos e males do uso de entorpecentes. “Temos de alertar nossos jovens e crianças sobre os problemas que o uso das drogas traz para a saúde e para a convivência em sociedade”, defende Francisco.

As palestras acontecem já há dois anos e a receptividade, tanto dos ouvintes, quanto de pais e professores, tem sido positiva. “Também nas palestras, orientamos sobre a importância de finalizar os estudos, da prática esportiva, dos cuidados com a saúde mental, prevenção ao suicídio, entre outros temas que, como sabemos, povoam a cabeça dos nossos jovens e, por vezes, não são discutidos no ambiente familiar”, argumenta o escrivão.

Sindpoc garante na justiça direito à aposentadoria integral de policiais civis

“Essa é mais uma vitória do nosso setor jurídico, que tem à frente competentes advogados à disposição de nossos associados, além dos diretores José Roberto Cerqueira e Luciene Rodrigues”, finalizou Lopes.

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (Sindpoc) obteve mais uma vitória judicial em prol da categoria. No dia 14 de outubro de 2019, o Tribunal de Justiça (TJ/Bahia) proferiu decisão favorável ao Mandado de Segurança Coletivo Preventivo, nº. 8001146-32.2017.8.05.0000, impetrado pelo sindicato com objetivo de ver declarado o direito da categoria à concessão da aposentadoria integral, desde que preenchidos os requisitos constantes no artigo 1º da Lei Complementar LC 51/85.

Na decisão, o relator entendeu que “A conduta ilegal do Governador do Estado da Bahia e do secretário de segurança pública do Estado da Bahia vinha sistematicamente estabelecendo que a aposentadoria dos servidores representados pelo SINDPOC devem ter suas aposentadorias deferidas tendo como base o cálculo de 80% das maiores remunerações recebidas no período trabalhado, desobedecendo, portanto, a norma do art. 1º, inciso II, da Lei Complementar 51/85, a qual estabelece expressamente a integralidade dos vencimentos na passagem à aposentadoria, ou seja, os proventos devem ser calculados com base na totalidade da remuneração do cargo efetivo em que se deu a aposentadoria.”

De acordo com o presidente do Sindpoc, Eustácio Lopes, o Estado vinha aplicando a regra da aposentadoria comum de forma ilegal, lesando os trabalhadores que, mesmo cumprindo todos os requisitos, tinham seus pedidos de aposentadoria integral negados. “Essa é mais uma vitória do nosso setor jurídico, que tem à frente competentes advogados à disposição de nossos associados, além dos diretores José Roberto Cerqueira e Luciene Rodrigues”, finalizou Lopes.