SINDPOC em parceria com a Associação dos Professores de Ilhéus, realiza pesquisa sobre ” Saúde do Trabalhador”

O foco do projeto consiste em diagnosticar as principais doenças laborais dos investigadores, escrivães e peritos técnicos

SINDPOC em parceria com a Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus(APPI) irá realizar uma pesquisa sobre a Saúde do Trabalhador com foco nas doenças laborais dos investigadores, escrivães e peritos técnicos.  O projeto piloto será desenvolvido, inicialmente, em Ilhéus e Juazeiro e pretende ser expandido para todos os Estados da Bahia. A  Associação dos Professores que já possui experiência em pesquisas qualitativas e quantitativas irá  implementar a metodologia do diagnóstico.

A diretora do SINDPOC  e  investigadora lotada na Delegacia de Proteção Ambiental de Ilhéus, Heloísa Araújo, comemora a parceria firmada entre as entidades por avaliar que a pesquisa vai traçar um diagnóstico das doenças que mais atingem os policiais civis do Estado. ” Vamos diagnosticar quais as doenças, tanto físicas como psicológicas, que afetam os nossos servidores. Os próprios  funcionários  vão nos apresentar as demandas referentes à saude dos trabalhadores”, frisa a investigadora.

“Os policiais civis trabalham em um ambiente extremamente insalubre. Agora, com essa pesquisa, vamos poder entender e poder combater as doenças que mais acometem os policiais civis”, destaca a diretora do SINDPOC e escrivão  Wilza Leal Tavares, lotado na 7ª COORPIN de Ilhéus. A reunião contou com as presenças das diretoras Heloísa Araújo, Wilza Leal Tavares,  Marielza Cavalcante e do associado ao SINDPOC Edson Dias, lotado na 17ª COORPIN de Juazeiro.

Assembleia Conjunta aprova elaborar “calendário de lutas” para reivindicar o “salário de nível superior”

Será criada uma Comissão que ficará responsável em organizar e planejar as mobilizações

Durante Assembleia realizada, na manhã desta quinta-feira(13), no auditório da faculdade Visconde de Cairu,  policiais civis, policiais federais e rodoviários federais, de Salvador e do interior baiano aprovaram que irão apoiar a Greve Geral contra a Reforma da Previdência, desta sexta-feira(14). A Assembleia deliberou também que vai ser elaborado um “calendário de lutas” o qual  será executado em todo o Estado para exigir o cumprimento da Lei Orgânica 11.370/2019  que enquadrou as carreiras da Polícia Civil como ” nível superior”, entretanto, os servidores continuam com o piso salarial de nível médio.  

As entidades que representam os profissionais da Segurança Pública vão escrever uma carta de apoio à paralisação das centrais sindicais. A Assembleia Conjunta foi uma realização do SINDPOC, ASSIPOC, UNIPOL, SINDPEP e AEPEB , com apoio do SINPRF e SINDPOL.

O Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes, ressalta que os policiais estão impedidos pelo normativo do Supremo Tribunal Federal( STF) de paralisar as atividades, mas as entidades apoiam o ato político e a Greve Geral. ” Somos contra a Reforma da Previdência. A reforma vai penalizar o trabalhador, principalmente, os mais pobres. Cria uma capitalização que só beneficia o sistema financeiro e penaliza os pobres”, frisa o sindicalista.

Para Eustácio Lopes, a Assembleia Conjunta representa uma vitória dos policiais civis baianos. ” Conseguimos vencer as divisões internas da categoria para construirmos um projeto único em defesa dos pleitos policiais. O SINDPOC está feliz porque a partir de agora vamos contar com a colaboração de todos. A Assembleia deliberou criar uma comissão conjunta que vai elaborar um trabalho técnico referente ao salário de nível superior que será encaminhada Governo do Estado;  realizar uma assembleia conjunta com os deputados federais que compõem a Comissão Especial da Reforma da Previdência; organizar carreata que irá  até a ALBA ou à Governadoria como pontapé inicial do Calendário de Lutas; criar uma logomarca que simbolize a unidade das entidades.