Nossa homenageada do quadro Banco de Talentos, desta quarta-feira (14), é a investigadora Júlia Déborah Nunes, lotada na 1° Delegacia Territorial de Itabuna, 15 anos de Polícia Civil,  graduada em Pedagogia e em Direito, pós-graduada em Psicopedagogia e pós-graduada em Direito Público e Privado e tem como lema de vida  “Quem não vive para servir, não serve para viver”. 

A investigadora é “alegre, atenciosa e eficiente” e afirma que costuma levar os ensinamentos que adquire durante o trabalho na Polícia Civil para casa, como momentos de reflexão que auxiliam na educação dos filhos.  “Levo as experiências e também as frustrações para mostrar aos meus filhos quais são os caminhos que não devem ser seguidos”, pontua.

A servidora participou do processo de investigação que envolveu o homicídio do delegado José Carlos Mastique, 55 anos, no município de Itabuna, alvejado por policiais militares em 28 de abril de 2019. Conforme  relatório elaborado pela equipe de investigadores da 6ª COORPIN, o Ministério Público ofereceu  denúncia contra o autor, que vai a júri popular. “O trabalho de investigação é muito lindo! Infelizmente, não recebemos um salário digno! A investigação elucida o crime, aponta o culpado e traz a paz social. Eu sou apaixonada pela minha profissão”, declara a investigadora.

Nossa Talento da semana é solteira, mãe de três filhos, e tem como principais hobbies ir ao cinema, ler e viajar.

ASCOM SINDPOC