Presidente do SINDPOC pede ao Governo do Estado que abra uma “linha de negociação” para reverter a suspensão da gratuidade do Salvador CARD

A partir desta quarta-feira(2) a gratuidade do Salvador CARD será suspensa aos policiais civis e militares O SETPS derrubou liminar do Governo do Estado que […]

A partir desta quarta-feira(2) a gratuidade do Salvador CARD será suspensa aos policiais civis e militares O SETPS derrubou liminar do Governo do Estado que concedia a gratuidade do transporte público aos policiais civis e militares. O Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes, pede ao Governo Estado que estabeleça um diálogo para que seja feita a correção dessa medida que visa suspender a gratuidade do Salvador Card. O sindicalista destaca que os policiais de Salvador, geralmente, precisam utilizar mais de três ônibus para fazerem o deslocamento aos locais de trabalho. ” Essa liminar vai gerar um grande prejuízo aos servidores que terão que pagar o transporte com o próprio salário”, frisa Lopes. images (1) (1)O Presidente do SINDPOC explica que os policiais da capital e do interior que precisam fazer “grandes deslocamentos” já são penalizados com o decreto 6.192/97 que limita a indenização do Estado até  72 km de distância da residência ao posto de trabalho.  “Esses policiais que percorrem grandes distâncias já são obrigados a custear essa despesa que o Estado não cobre. Além disso,  os policiais que trabalham no plantão não recebem o auxílio- transporte e os servidores da área  administrativa o valor que recebem é insuficiente para custear o transporte mensal. Essa medida do SETPS vai agravar a situação”, enfatiza Eustácio Lopes. ASCOM SINDPOC