logo
logo (71) 3016-4541
logo contato@sindpoc.org.br
Quarta-feira, 23 de Set de 2020 14:22

SINDPOC repudia assédio moral a escrivã da Polícia Civil em Iaçu

  • Por Brenner Menezes Boa Morte
  • GERAL

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (SINDPOC) e o Sindicato dos Escrivães de Polícia do Estado da Bahia - AEPEB SINDICATO, vem a público repudiar as atitudes e comportamento desrespeitosos, arbitrários e assediosos perpetrados pelo atual Delegado Titular da DT de Iaçu/BA, segundo denúncias relatadas pela escrivã da Policia Civil lotada naquela unidade policial, que declara ter sofrido assédio moral e abuso de autoridade por parte do Delegado Titular (01 ano de Polícia Civil, foi investigador em Alagoas), no intuito de obrigar a escrivã  realizar as atribuições inerentes ao cargo delegado, culminando com ameaça de remoção ilegal e imotivada da colega Escrivã. Inclusive, a referida autoridade se portou de forma descortês com o representante do SINDPOC em visita àquela DT. Lamentamos que a violência de gênero seja realidade intensa e constante no interior das instituições policiais, sendo ainda prevalecente o silenciamento de casos de assédios e discriminações.
No Brasil, segundo dados, cerca de 40% das mulheres policiais, afirmam, já terem sofrido assédio moral ou sexual no ambiente de trabalho. A naturalização de estruturas machistas deve ser confrontada e rompida para alçar a superação de violências e desigualdades em razão do gênero. Para tanto, o combate a qualquer tipo de assédio deve ser firme no propósito de garantir que tais fenômenos sejam erradicados, assegurando as corporações ambientes seguros a todas(os) as(os) policiais.
O SINDPOC-BA e o AEPEB SINDICATO repudiam a todo e qualquer tipo de violência, principalmente em decorrência de gênero, e não admitem nem compactuam com qualquer forma de assédio ou abuso de autoridade contra os policiais civis, principalmente contra uma mulher. E entendem que a hierarquia não se confunde com o arbítrio e não pode e nem deve ser utilizada como motor para o agravamento dos efeitos maléficos do assédio moral e do abuso de autoridade.
Ratificamos o nosso compromisso na defesa dos direitos dos policiais civis, mormente das mulheres policiais. Faz-se necessário a apuração rigorosa dos relatos apresentados por Quézia Freitas, e que consequentemente sejam tomadas as devidas providências.
As entidades referidas reforçam a necessidade de todos os policiais civis que forem submetidos a qualquer tipo de violência, gênero, raça, sexual, ou até mesmo abuso de autoridade devem fazer sua denúncia e notificar o sindicato para as devidas providencias.

Comentários

  • Parabéns pelo trabalho e manifestação, Sindpoc.

    TEM QUE SSER FEITA UMA APURAÇÃO RAPIDA E RIGOROSA DOS FATOS E A DEVIDA PUNIÇÃO.

    Os policiais da região estão com a Escrivã! Agimos respeito a essa profissional dedicada e competente, que tanto admiramos!

    Estamos com você, Quezia. Somos pelo reconhecimento do trabalho dos escrivãos do Estado da Bahia, e pelo fim do desvio de função. Vamos a luta!!

    Alguns agentes públicos querem fazer dos órgãos que atuam suas casas,como se fossem donos. Parabéns ao sindicato pela atuação no caso, não podemos tolerar atitudes abuso de poder e atitudes machistas.

    Simpática, trabalhadora, imparcial, faz o serviço com qualidade e dedicação, sempre tratou a mim e a todos ao seu redor com educação e respeito, nasceu para exercer a profissão. É indignante ver essa situação! Parabéns a SINDCOP pela iniciativa! Parabéns Quezia por não se calar, você será uma semente de muitos bons frutos, já é inspiração para muitos. #somostodosqueziafreitas Não ao coronelismo disfarçado!

    Parabéns ao Sindicato pela rápida e eficiente atuação no caso e a colega pela coragem de exposição dos fatos. Tais situações não podem passar despercebidas!

    Estou com a colega escrivã! Essa tradição da classe d escrivães ter q fazer ilegalmente a função d delegado e ainda ser assediada qdo não cumpre o q não é seu dever funcional, não existe, tem q acabar mesmo. Os escrivães já travam tantas lutas, atendem a população da melhor forma possível, estão de frente com os problemas sociais, são impactados emocionalmente com tdo q a população já sofre e traz as delegacias, agora ter q sofrer com assédio d colega q não sabe cumprir sua função e quer passar por cima do servidor e ser humano, isso não pode mais existir, tem q haver um basta em toda a Polícia Civil. Estou com vc Quezia!!!! Força

    Conheço a escrivã, sei da sua competência, profissionalismo, conduta ilibada. Força, Quezia, estamos com vc. O que vc passa é uma realidade de toda a Bahia, escrivães sobrecarregados de trabalho, em desvio de função, sofrendo assédio moral, não nos calaremos mais.

    Somos a favor do respeito a todos os seres humanos. Não se deve admitir quaisquer formas de assédio. Muito menos às mulheres que auxiliam no trabalho da Justiça. #somostodosqueziafreitas

Adicionar comentário

CADASTRE-SE E RECEBA BOLETIM ELETRÔNICO