Durante Assembleia, policiais civis decidem continuar associados ao PLANSERV

Durante Assembleia realizada pelo SINDPOC, ASSIPOC e SINDPEP, na manhã desta sexta-feira(15), na Associação dos Funcionários Públicos da Bahia, os policiais civis decidiram continuar associados  […]

SINDPOC (7) Durante Assembleia realizada pelo SINDPOC, ASSIPOC e SINDPEP, na manhã desta sexta-feira(15), na Associação dos Funcionários Públicos da Bahia, os policiais civis decidiram continuar associados  ao PLANSERV e lutar contra o quadro atual de precariedade do plano de saúde destinado aos servidores públicos da Bahia. O Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes, afirmou que o sindicato vai  judicializar ações contra o sistema de “cotas” para agendamento de exames e procedimentos  cirúrgicos. “Queremos entender qual o problema do PLANSERV haja vista que o plano  não possui inadiplência, os servidores pagam as contribuições todos os meses, o valor é debitado diretamente do contracheque. “Vamos mover Ações no Ministério Público para derrubarmos a Lei que diminui a contribuição do Governo do Estado de 4% para 2%. A categoria deu uma resposta que não vai aceitar a precarização e a  privatização do PLANSERV”, salientou o sindicalista. Após Assembleia,os policiais protestaram em frente à sede da OAB, localizada na Avenida Joana Angélica, contra a agressão sofrida pelo investigador da Polícia Civil Sérgio Bezerra.Os manifestantes cobraram uma posição da Ordem dos Advogados da Bahia em relação ao caso, a devida apuração dos fatos e a punição do agressor no Conselho de ética da entidade. A Assembléia debateu também sobre a Carreira única, o Ciclo Completo, o problema do auxílio-transporte dos policiais civis baianos e a correção dos valores do plantão do carnaval de de 2019. ASCOM SINDPOC