subscribe img
Endereço:

80 Ladeira dos Barris,
Salvador, Bahia

Telefones:

Esta data teve início em 1981, quando da realização do 1º Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe realizado na Colômbia aprovou o 25/11 em memória das irmãs Maria, Minerva e Pátria Mirabal, “Las Mariposas”, que por serem opositoras à ditadura de Trujillo, na República Dominicana, foram brutalmente assassinadas em 1960 pelo regime.

Mesmo com os avanços das últimas quatro décadas e o amadurecimento das instituições democráticas, manter viva a memória do combate à violência se faz mais do que necessária. Sem a intenção de fazer um paralelo, não podemos deixar de citar a realidade ainda hoje imposta as mulheres em alguns países que são apedrejadas. Mas foquemos na realidade brasileira, e o que acontece ao nosso lado todos os dias: onde segundo dados divulgados, pela diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) Samira Bueno, “são 536 casos por hora no Brasil e quase a mesma proporção de mulheres que dizem ter sido vítima de algum tipo de violência sexual.” Os números são impressionantes e assustadores: “nos últimos 12 meses, 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no Brasil, enquanto 22 milhões (37,1%) de brasileiras passaram por algum tipo de assédio. Dentro de casa, a situação não foi necessariamente melhor. Entre os casos de violência, 42% ocorreram no ambiente doméstico. Após sofrer uma violência, mais da metade das mulheres (52%) não denunciou o agressor ou procurou ajuda” relatou Bueno.

Em seus espaços de debate, o SINDPOC-BA vem propondo o combate a violência contra as mulheres e o machismo, com denúncias e ações principalmente junto as Policiais Civis visando o empoderamento das mulheres na Polícia Civil da Bahia. Mas reconhecemos que muito mais ainda há de ser feito. E não só pelas mulheres trabalhadoras da nossa categoria, mas por todas as mulheres vítimas de opressão.

O SINDPOC-BA valoriza a data de hoje e se mantém na luta por um novo modelo de sociedade, onde as mulheres possam ser tratadas em condições iguais às dos homens, com autonomia econômica e sobre seus corpos. Saudações, ao Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher!

COMPARTILHAMENTO:

Comentários

Escreva aqui seu comentário*