Durante micareta de Feira, policiais civis realizam ” Feijoada Empoderada”

Policiais civis lotados na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Feira de Santana ( DEAM),realizaram “neste sábado( 27),a ” Feijoada Empoderada”, a partir das […]

MICARETA (22)

Policiais civis lotados na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Feira de Santana ( DEAM),realizaram “neste sábado( 27),a ” Feijoada Empoderada”, a partir das 12hs, com o objetivo de oferecer um almoço diferenciado e proporcionar um momento de confraternização entre os servidores que estavam trabalhando durante a micareta da cidade. O evento contou com a participação  de servidores de Salvador, familiares, amigos e autoridades locais. ” Foi um momento extremamente importante de confraternização entre os colegas. Foi a nossa primeira feijoada empoderada. Mas já estamos organizando a feijoada de 2020″, destaca Valdir Ferreira, Coordenador do Setor de Investigação( SI) da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher. ASCOM SINDPOC

Em nota, SINDPOC desmente versão da PM sobre assassinato de delegado em Itabuna

Atraves de nota oficial, o SINDPOC desmente a versão apresentada pela PM e repudia a conduta adotada pela guarnição de policiais militares,  onde um cabo […]

DELEGADO

Atraves de nota oficial, o SINDPOC desmente a versão apresentada pela PM e repudia a conduta adotada pela guarnição de policiais militares,  onde um cabo da PM de prenome  Cleomario assassinou o delegado da Polícia Civil José Carlos Mastique, no município de Itabuna, na manhã deste domingo(28).

(mais…)

Conselho Nacional de Justiça define que escrivão poderá prestar concurso para juiz substituto

SINDPOC comemora decisão do Conselho Nacional de Justiça a qual define que cargo de escrivão da Polícia Civil para comprovar atividade jurídica no concurso para […]

CONC

SINDPOC comemora decisão do Conselho Nacional de Justiça a qual define que cargo de escrivão da Polícia Civil para comprovar atividade jurídica no concurso para juiz de direito substituto. O Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes, explica que era exigido do servidor a carteira da OAB e três anos de atuação jurídica para que fosse considerado habilitado ao Concurso Público. ” Agora, o escrivão da Polícia Civil na atividade laboral da delegacia terá essa prática jurídica reconhecida. Parabenizo os escrivães por essa  vitória “, comemora o Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes. ASCOM SINDPOC


Mais informações: Cargo de escrivão de polícia conta como prática jurídica para concurso

O cargo de escrivão da polícia civil pode ser usado para comprovar atividade jurídica no concurso para juiz de direito substituto. A decisão é do Conselho Nacional de Justiça em resposta à consulta sobre a configuração da prática jurídica exigida como requisito para ingresso na carreira da magistratura. Em seu voto, a relatora, conselheira Cristiana Ziouva, definiu que “o cargo [escrivão de polícia] pode ser considerado para as atividades jurídicas, desde que haja comprovação do órgão competente, e sendo analisada pela comissão realizadora do concurso”. De acordo com a conselheira, o candidato deve ser bacharel em direito e agregar o exercício das atividades por mais de três anos após a concessão do título. A relatora afirmou que a atividade de escrivão de polícia exige conhecimento jurídico e, por isso, atende à resolução CNJ 75/2009, que dispõe sobre os concursos públicos para ingresso na carreira da magistratura. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ. Consulta: 0009079-37.2017.2.00.000