Devido ao trabalho de investigação, policiais do GERRC identificam a autoria dos assaltantes a coletivos de Salvador e recuperam aparelhos celulares das vítimas

Os investigadores utilizam métodos e ferramentas tecnológicas para elucidar os roubos que ocorrem nos ônibus da capital baiana

Através de um trabalho de investigação criminal especializado, policiais civis do Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (GERRC), identificam a autoria dos assaltos que ocorrem nos ônibus da capital baiana e conseguem  recuperar os aparelhos celulares que são roubados durante os assaltos aos coletivos. O investigador do GERRC Paulo Braga, que possui 19 anos de Polícia Civil,  destaca que os policiais utilizam fontes  de pesquisa e ferramentas tecnológicas que ajudam no processo de elucidação dos crimes que acontecem nos coletivos. ” É um trabalho que não é feito de forma isolada, começa com o registro da ocorrência na delegacia e envolve  a equipe do plantão,  a equipe do Setor de Investigação e a equipe cartorária. Envolve todo engrenagem do GERRC. Através das imagens gravadas pelas câmeras de segurança, do levantamento feito  dos locais que possuem maior incidência de roubos e  alguns métodos tecnológicos conseguimos rastrear os aparelhos celulares  e identificar a autoria dos assaltantes. O celular tem um serial de identificação que nos ajuda a localizar os aparelhos que depois são entregues às vítimas dos assaltos a coletivos,  explica o investigador Paulo Braga, Bacharel em Direito e especialista em Investigação criminal pela UNIFACS. 

O investigador salienta que existe uma redução gradativa dos assaltos a coletivos em Salvador de 8 para 5 por dia  devido ao trabalho feito pela equipe do GERRC que já efetuou diversos mandados de prisão e prisões também em flagrantes. ” Na gestão do delegado  Glauber Uchiyama tiramos vários assaltantes de circulação! O maior êxito da investigação do GERRC é com a recuperação dos aparelhos celulares e com os mandados de prisão dos assaltantes aos coletivos”, salienta, ao destacar a importância do Disque Denúncia o qual ajuda a identificar a materialidade dos crimes, inclusive, diversos bandidos  foragidos em outros Estados foram capturados através das denúncias feitas pelos cidadãos no número: 3117-6637

A estudante de enfermagem da Universo, Mileide Barbosa, 26 anos, foi  vítima de um assalto na Avenida Luís Eduardo Magalhães, em fevereiro deste ano, e, após três meses de investigação,  teve o aparelho celular recuperado e entregue pelos policiais do GERC. A universitária protocolou um elogio ao trabalho desenvolvido pelos policiais na Ouvidoria da Polícia Civil. “Geralmente, quando nós temos os celulares roubados nos ônibus, ficamos sem esperança de recuperar o nosso aparelho!Eles me acompanharam durante os três meses, sempre mantendo contato comigo e o protocolo do elogio foi apenas uma forma de agradecer e reconhecer o trabalho e o empenho dos policiais do GERRC. O grupo,realmente, funciona!  A sociedade precisa tomar conhecimento desse trabalho que é desenvolvido. É muito bom saber que podemos contar com os servidores do GERRC”, ressalta a estudante Mileide Barbosa.



Profissionais da Segurança Pública irão realizar protesto contra a Reforma da Previdência no feriado do 2 de Julho

Policiais civis, federais e rodoviários federais irão realizar um protesto contra a Reforma da Previdência, no feriado do 2 de julho, às 13hs, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

Em defesa dos policiais civis e em repúdio à retirada de direitos que será promovida pela Reforma da Previdência, SINDPOC realizará uma caravana que sairá de Salvador, na próxima segunda-feira(1), às 6hs,rumo à Brasília. Os policiais civis que desejam participar da caravana devem confirmar presença  até esta sexta-feira(28), ao meio dia,através da recepção do SINDPOC (71)3016-4541/ (71 )3016-6289 e encaminhar o nome, CPF e contato telefônico.

O Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes, salienta que a PEC 006/2019 da Reforma da Previdência penaliza os trabalhadores da Segurança Pública, principalmente, os policiais civis, federais e rodoviários federais que serão prejudicados com a retirada da integralidade e da paridade e sofrerarão com o aumento significativo dos anos de contribuição. “Atualmente, as mulheres da Polícia Civil se aposentam com 25 anos de contribuição e os homens com 30 anos de contribuição. Só vamos alcançar a  Aposentadoria equivalente a 100% do salário apenas quando completarmos 40 anos de contribuição.
Com a aprovação da Reforma da Previdência,   aos 30 anos de contribuição iremos receber o valor correspondente a 60% do salário,” esclarece o sindicalista.

Eustácio Lopes salienta que os policiais civis, policiais federais e rodoviários federais reivindicam os mesmos direitos dos policiais militares e das Forças Armadas. “Nós queremos as mesmas condições dos policiais militares e das Forças Armadas. Vivemos uma guerra diária! Todos os dias policiais civis são abatidos e mortos no Brasil! As Forças Armadas vivem  aguardando uma iminência de uma guerra sendo que, na verdade, nós enfrentamos cotidianamente uma guerra. Não podemos deixar de sermos considerados como atividade de risco conforme prevê a Reforma da Previdência”, frisa Eustácio Lopes, Presidente SINDPOC.

SINDPOC apresenta demandas dos policiais civis de Ilhéus à Câmara Municipal

Os diretores encaminharam pleitos relativos às condições de trabalho, lazer e representatividade política

Diretores do SINDPOC se reuniram, nesta quarta-feira(9), com o Presidente da Câmara de Vereadores de Ilhéus, César Porto(PDT),  e o vereador pastor Matos (PSD) para discutir demandas dos policiais civis do município. Nos encontros, a diretoria  solicitou uma inspeção e providências emergenciais em relação à situação de precariedade e condições insalubres de trabalho da 7ª COORPIN de Ilhéus. “O Ministério público estadual pediu nterdição do prédio e remoção temporária dos servidores até a conclusão da obra de reforma. Mas os servidores continuam trabalhando em um ambiente com diversos problemas estruturais”, destaca o diretor Roberto Cerqueira.

Além pleitos da 7° COORPIN, os diretores solicitaram concessão de um espaço que será utilizado para o lazer dos associados ao SINDPOC e destacaram a necessidade de participação no Conselho Municipal de Segurança Pública.

O diiretor Roberto Cerqueira salienta a importância da aproximação entre a diretoria do SINDPOC e o Poder Legislativo municipal e estadual. ” A gente está tirando a Polícia Civil das quatro paredes mostrando para sociedade a importância da atuação da policiais civis  na investigação criminal e seus respectivos atores, como investigadores, escrivães, peritos técnicos, peritos criminais e delegados”, pontua o dirigente sindical. As reuniões contaram com as presenças dos diretores  José Ricardo da Silva(jurídico), Roberto Cerqueira (Jurídico), Kelly Porto (Conselho de Ética) e Wilsa Bransford(Diretoria de Eventos).

Associado ao SINDPOC lotado na DEAM de Brotas é absolvido de Processo Administrativo

O jurídico do SINDPOC consegue, com recorrência, absolvição em diversos casos de processos administrativos e criminais

Mais um policial civil filiado ao  SINDPOC foi beneficiado com o  trabalho desenvolvido pelo setor jurídico do SINDPOC. O  investigador Marcos Antônio dos Santos Ferreira, lotado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM),de Brotas, foi absolvido de um Processo Administrativo o qual estava sendo acusado de ter  ameaçado de morte o proprietário de um imovel que o servidor fazia a locação.  Através da defesa feita pelo quadro de advogados do SINDPOC, o associado foi absolvido.

O investigador Marcos Antônio dos Santos Ferreira destaca  que o sindicato possui extrema importância à luta dos trabalhadores e afirma que o SINDPOC realiza um trabalho social  relevante à sociedade civil. ” Os advogados do  SINDPOC são ótimos! Me trataram muito bem! São exemplares ! Dou nota 10 e se eu pudesse dava nota 11!Gosto muito do trabalho feito pelo SINDPOC!”, salienta o sindicalizado.

O Presidente do SINDPOC,  Eustácio Lopes, enfatiza que o quadro de advogados do sindicato consegue, com recorrência, absolvições em diversos processos administrativos e criminais. O sindicalista lembra que três servidores que foram acompanhados por escritórios particulares,na última semana, não conseguiram absolvição nos processos criminais e foram demitidos da Polícia Civil. “Nossos advogados possuem muita experiência em defesas de processos administrativos e criminais. Os servidores que tem buscado escritórios particulares tem sido penalizados porque os escritórios não tem essa mesa expertise nas Ações,” enfatiza Eustácio Lopes