Banco de Talentos: servidor desenvolve trabalho nas redes sociais com foco na valorização dos policiais civis baianos

O nosso quadro ” Banco de Talentos” traz, nesta quarta-feira(15), a história de mais um policial civil que faz a diferença.

O nome dele é Vinicius Aguiar, 31 anos, investigador lotado na Delegacia de Furtos e Roubos, localizada na Baixa do Fiscal, centro da capital baiana. o servidor foi nomeado em 2016, é formado em Ciências da Computação e está concluindo a graduação em Direito. Possui Pós-graduação em Ciências Criminais.

Antes de ingressar na Polícia Civil trabalhou, durante oito anos, como Analista de Sistemas. Ao longo desse período, desenvolveu software para sistema de automação industrial e internet bank e já atuou também como Agente Penitenciário, no Complexo Penitenciário de Salvador.

Nosso servidor desenvolve um trabalho junto ao grupo @policiacivilba no Instagram o qual tem como foco a valorização dos policiais civis baianos. As ações do grupo @policiacivilba visam conscientizar a população sobre a importância da Polícia Civil à sociedade. Já produziram três vídeos que abordam o papel desempenhado pelos policiais civis em defesa dos cidadãos e está prevista a realização de mais três obras audiovisuais.

“Acho importantíssimo esse quadro Banco de Talentos que está sendo realizado pelo SINDPOC. Durante muito tempo a gestão estadual vem valorizando apenas os outros cargos.Os investigadores, escrivães e peritos papiloscopistas sempre foram vistos como coadjuvantes, sem receberem o verdadeiro crédito pelo trabalho realizado. Até a própria Polícia Civil pode aproveitar as habilidades dos servidores que estão sendo expostas pelas matérias produzidas pelo Banco de Talentos”, comemora o servidor Vinicius Aguiar.

ASCOM SINDPOC

Banco de Talentos: policial civil é referência internacional em sistemas de defesa pessoal

O nosso quadro “Banco de Talentos” o qual realiza um trabalho de valorização dos policiais civis baianos, desta semana, traz a história de mais um servidor que possui uma qualificação profissional diferenciada.

O nome dele é Franck Mascarenhas Lima, 46 anos, investigador lotado na Segurança Orgânica do Departamento de Inteligência Policial (DIP). O servidor é especialista em sistemas de defesa pessoal israelenses. Sua formação marcial: faixa preta de Jiu Jitsu, monitor de Panantukan (boxe filipino), faixa preta em Krav Magá e instrutor nível internacional de Kapap.?

Participou do 4º Festival Internacional de Artes Marciais Israelenses realizado em Cesareia/Israelno ano 2016, quando recebeu a faixa preta de 3° dan de Kapap Krav Magá do Grand Master Moshe Galisko, presidente da IKA (International Kapap Association). Atualmente Franck é Vice-Presidente da FBKMK (Federação Brasileira de Krav Magá e Kapap), sediada em Goiânia, cujo presidente é o Mestre Veruilson Nogueira.

Por duas vezes participou do Estágio de Adaptação á Vida na Selva pelo CIGS (Centro Instrução Guerra na Selva – Exército Brasileiro) na Selva Amazônica; em 2018 foi graduado o 4º Dan de Kapap Krav Magá pelo Grand Master Moshe Galisko (IKA/Israel) durante o Seminário Internacional Kapap realizado no Clube da Hebraica em São Paulo.

Nas horas vagas o servidor ministra aulas artes marciais e sistemas de defesa pessoal em academias, aulas particulares e aulas para grupos; participa, organiza e ministra cursos, workshops, seminários e palestras sobre os diversos sistemas de defesa pessoal e qualidade de vida. Graduado em Educação Física e em Direito, o investigador é Pós-graduado em “Política e Estratégia do Estado” pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra/UNEB e pós-graduado, também, em Defesa Pessoal Aplicada à Segurança Pública e Privada pela (FACEI).

Como amante de atividades esportivas e marciais, pratica e estuda Muay Thai, Sistemas de Artes Marciais Filipinos (exemplo FCS Kali) e Boxe. No mês de abril 2019 participou de um Curso de Retenção e Contra Retenção de Arma de Fogo com o Instrutor Americano James Urban em São Paulo, destacando-se e sendo convidado para formação instrutor do Urban Tactical Instructors, ressaltando que foi muito enriquecedor e fundamental o aprendizado das técnicas apresentadas, pois além de serem atuais, seria necessário que cada operador de segurança pública, em especial policiais civis, aprendessem pelo menos o básico para salvaguardar a sua vida caso necessitasse confronto corpo a corpo, pois havendo arma de fogo os riscos de perde-la aumentam caso não empregue corretamente a técnica, visando a proteção e manutenção do armamento.

Krav Magá e Kapap são sistemas de defesa pessoal israelense

Possui diversos cursos nas áreas de artes marciais, sistemas de defesa pessoal, tática e fitness. O nosso policial que faz a diferença, tem como principais hobbies a realização de práticas esportivas, praia, cinema, teatro, andar de bicicleta, boa leitura, boa música, e jogar vídeo games. “Esse projeto do SINDPOC mostra que o sindicato reconhece e valoriza os seus associados e isso é de fundamental importância para mostrarmos que os colegas desenvolvam atividades paralelas que se destacam e obtém êxito”, salienta Franck Mascarenhas.

Banco de Talentos: através do conhecimento técnológico, investigador elucida crimes cibernéticos e recupera aparelhos celulares roubados durante assaltos a coletivos

O quadro Banco de Talentos do SINDPOC, a cada semana, irá homenagear policiais civis que desenvolvem trabalhos diferenciados e qualificados no combate ao crime e em defesa da Segurança Pública do nosso Estado.

A valorização dos servidores é o principal objetivo do Banco de Talentos. Nesta semana, nosso homenageado será o investigador Fabrício Santiago, 38 anos, lotado no setor de Inteligência do Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (GERRC).

O servidor  possui graduações em Engenharia de Telecomunicações e Engenharia Elétrica, além de especializações na área de Redes avançadas de Computadores pelo SENAI (Cisco Networking Academy) e diversos cursos em Segurança da Informação, Inteligência de Crimes Cibernéticos e de Analista Criminal pelo SENASP. Pretende fazer Pós-Graduação nas áreas da “Segurança da Informação, Inteligência e Elétrica “, a partir do segundo  semestre.

O investigador ressalta que o conhecimento na área de Tecnologia facilita o processo de investigação dos crimes cibernéticos, a identificação e qualificação da autoria, e a recuperação de aparelhos celulares que são roubados durante os assaltos a coletivos.  “Desde quando entrei na Polícia Civil percebi que a instituição poderia valorizar mais os servidores que tem um conhecimento diferenciado. A Polícia Civil deveria estimular mais a qualificação dos servidores”, pontua o investigador Fabrício Santiago, que integra a turma dos nomeados em 2016, está há um ano no GERRC e trabalhou na delegacia de Repressão a Furtos e Roubos a Veículos.

Além do fascínio pelo saber tecnólogico, o investigador em seus momentos de lazer gosta de tocar contrabaixo, violão, frequenta academia, adora viajar e correr na praia.

ASCOM SINDPOC

SINDPOC lança “Banco de Talentos” para valorizar qualificação acadêmica e profissional dos policiais civis baianos

Com intuito de desenvolver um trabalho de valorização do policial civil, SINDPOC lança o quadro “Banco de Talentos” que, ao contar as histórias de vida […]

Com intuito de desenvolver um trabalho de valorização do policial civil, SINDPOC lança o quadro “Banco de Talentos” que, ao contar as histórias de vida de policiais que possuem uma atuação diferenciada, pretende ressaltar a qualificação acadêmica, profissional e destacar os projetos sociais que são realizados por policiais civis baianos.

CIVIL

O investigador Fernando Sampaio da Delegacia de Proteção ao Turista( DELTUR), Bacharel em Direito formado pela Faculdade Eustácio/ FIB, é mais um exemplo de profissional que atua em prol da Segurança Pública do nosso Estado. Com formação em inglês pela Escola Baiana Expansão Cultural ( EBEC), residência em Londres durante, aproximadamente, quatro anos, onde adquiriu aprenzido na área de Publicidade e Propaganda e aprimorou o conhecimento da língua inglesa no Centro de Estudos de Londres, nos casos que envolvem turistas estrangeiros atua como intérprete na tradução do inglês que fornece ao processo de investigação criminal da unidade.

Casado, pai de uma criança de 1 ano e 8 meses, nas horas vagas possui como hobbies o surf e a percussão.  ” Nosso objetivo com o quadro Banco de Talentos é enfatizarmos a qualificação e dedicação dos nossos servidores. “, salienta o Presidente do SINDPOC, Eustácio Lopes.

ASCOM SINDPOC