Banco de Talentos: servidora realiza trabalho social em abrigo de idosos

A servidora promove campanhas de doações ao abrigo “Mansão do Idoso”

Nossa homenageada, desta quarta-feira(3), do quadro ” Banco de Talentos” é a servidora Normizia Alves de Assis, 66 anos, lotada no RH da Polícia Civil, há 43 anos  trabalha como  servidora do Estado, entrou na carreira pública com apenas 23 anos, em 1º de abril de 1976. 

Atualmente, a servidora é Diretora Administrativa do SINDPOC e realiza um trabalho social que consiste na doação de lençóis, agasalhos, fraldas geriátricas, cestas básicas, presentes e materiais de higiene ao abrigo “Mansão do Idoso”,  localizado na cidade de Conceição do Almeida. Inicialmente, Normízia Assis fazia doações a uma idosa do município. Após o falecimento da vunerável, passou a promover campanhas de doações destinadas a ajudar na manutenção do Abrigo. “A instituição é muito pobre, vive de doações, não tem nenhuma ajuda do Governo! Eu só não dou  dinheiro, mas se estiver precisando de alguma coisa, faço de tudo para tentar ajudar”, frisa a técnica administrativa.

Em relação à prematura e longa  carreira na vida pública, Normízia  salienta que foram 43 anos de muito trabalho e dedicação. “Estou como diretora do SINDPOC e tenho gostando muito da experiência, estabelecemos no sindicato relações de respeito e companheirismo”, pontua. Nossa homenageada, desta semana, professa a religião católica, mas faz questão de ressaltar  que “respeita todas as religiões” e tem como principais  hobbies viajar, passear em shoppings e participar de festas tradicionais como São João e carnaval.

Banco de Talentos: investigadora realiza trabalho de inclusão social de crianças e adolescentes na Ribeira

Através do esporte, especificamente dos cursos de judô, a entidade fundada pela servidora há 23 anos, já afastou diversos jovens do mundo das drogas e do crime

Nossa homenageada, desta quarta-feira (26),  do quadro Banco de Talentos,  é a investigadora lotada na Delegacia de Atendimento à mulher( DEAM), de Brotas, Rosilda Correia de Almeida, 59 anos, que desenvolve um trabalho social há 23 anos com crianças e adolescentes no Areal da Ribeira, bairro de Salvador. Devido à preocupação   com os jovens que residem em “locais de risco”, a  servidora   fundou a entidade ” Ação Comunitária Santa Cruz Judô  Clube ” com o objetivo de realizar um trabalho de inclusão social através do Esporte, da prática do judô. A instituição é registrada na Federação Baiana de Judô e na Confederação Brasileira de Judô e diversos alunos  que foram beneficiados com o projeto já conquistaram prêmios baianos, nacionais e internacionais.

É o caso da jovem Luana Maria que ingressou na entidade, aos 13 anos, foi campeã brasileira e ficou em terceiro lugar no campeonato Sul-Americano realizado no Equador. Através de uma parceria  firmada entre a entidade e a Faculdade  de Tecnologia e Ciências (FTC), a jovem lutou por um determinado período como representante da instituição  e, como contrapartida, foi contemplada com uma bolsa de estudos no curso de Direito. Atualmente, Luana Maria trabalha como advogada. 

Outro exemplo da inclusão social promovida pela entidade, é o caso do jovem Albert Ramon, que ingressou aos 13 anos na entidade, e, através de uma parceria  feita entre a “Ação Comunitária Santa Cruz de Judô Clube” e a FTC, foi contemplado também com uma  bolsa de 70% no curso de Enfermagem.  “Albert fez a graduação e hoje em dia trabalha como enfermeiro”, pontua a idealizadora e fundadora Rosilda Almeida.

A servidora destaca que a finalidade do projeto consiste em afastar as crianças e adolescentes do ” mundo das drogas”. 
” Já abrimos nossas portas para muitos jovens. Não cobramos nenhuma taxa. O curso é totalmente gratuito e muitos jovens que passaram pela nossa entidade conseguiram diversos Prêmios na Bahia, a nível nacional e no exterior. Além de terem conseguido entrar na faculdade através das parcerias que construimos com instituições de ensino”,  comemora a investigadora Rosilda Almeida, que possui apenas 4 anos de Polícia Civil, faixa preta 3º DAM, sete vezes consecutivas campeã baiana de judô e 10 vezes  campeã brasileira. 

A nossa policial que faz a diferença ressalta que o judô é um esporte de elite. ” Por isso, eu tive a ideia de fundar a instituição para proporcionar uma oportunidade aos jovens que eu não tive na minha época. Esse  jovens não tinham  facilidade de acesso ao judô. Daí a importância de fazermos esse trabalho em uma área com jovens carentes da Ribeira”, pontua Rosilda Almeida. Além dos treinos de judô, a servidora possui como hobbie viajar pelo interior baiano. Confiram reportagem abaixo do Globo Esporte que homenageia o trabalho desenvolvido pela investigadora da Polícia Civil:

http://globoesporte.globo.com/ba/videos/t/edicoes/v/conheca-um-projeto-social-comandado-por-uma-investigadora-de-policia/4524408/

Banco de Talentos: perito técnico é destaque na produção de Retratos Falados na Bahia

O servidor ministra cursos de formação em Salvador e no interior baiano

Nosso homenageado do quadro “Banco de Talentos”, desta quarta-feira(19), é o perito técnico Vilson Costa, 41 anos, lotado no Departamento de Polícia Técnica ( DPT),de Salvador, no Instituto de Criminalística Afrânio Peixoto (ICAP). Nosso servidor que faz a diferença é engenheiro eletricista com especialização em Designer e Marketing e, atualmente, é responsável pelo treinamento realizado pela Coordenação de Topografia, Modelagem e Desenho, vinculado ao ( DPT), onde, além de atuar como perito, ministra cursos de capacitação e atualização dos profissionais inseridos.

Através de parceria firmada entre SINDPOC e SINDPEP, Vilson Costa já promoveu também diversos cursos de formação destinados aos peritos iniciantes de Salvador e do interior baiano, inclusive, alguns suspeitos foram capturados após o trabalho desenvolvido de qualificação e aperfeiçoamento dos peritos.
Devido à expertise que possui na arte de designer, o perito Vilson Costa atua como professor da disciplina de “Retrato Falado” da Academia de Polícia  (ACADEPOL). 

Nossa talento, desta quarta-feira(19), explica que o Retrato Falado tem como objetivo  auxiliar na investigação ao reduzir o universo dos suspeitos e configura-se como uma representação gráfica  obtida através de descrição abstrata prestada por um informante,  que pode ser a vítima do crime ou uma testemunha. 

O  perito ressalta a importância do retrato falado à investigação criminal e lembra que consta no Código de Processo Penal enquanto  ferramenta que auxilia na elucidação dos crimes. Como exemplo, cita o caso de um estupro que ocorreu na Paralela o qual o retrato falado e o exame grafotécnico do acusado  possibilitaram a identificação da autoria do crime e a respectiva prisão do suspeito  Jessé Silva dos Santos, 24 anos.

Apesar de salientar a importância do Retrato Falado ao processo de elucidação dos crimes, o perito esclarece que o retrato falado por si só não serve como elemento de prova judicial. O servidor menciona o caso do jornalista Jorge Pedra, que apresentava um programa de celebridades na televisão baiana ” Fama e Sucesso”, assassinado no  hotel Democrata, localizado no bairro Dois de Julho, por Emerson Neves de Jesus, 19 anos,em novembro de 2009, o qual o retrato falado ajudou a identificar o homicida, entretanto, o acusado foi absolvido no Tribunal do Júri.

Nosso servidor elogia a iniciativa do quadro Banco de Talentos do SINDPOC e ressalta que esse tipo de trabalho que visa  valorizar a imagem e a trajetória dos policiais civis ajuda a criar referências positivas dentro da Polícia Civil.   “Quando você promove reconhecimento profissional, você gera maior motivação nos servidores, além de promover mais participação e interação interna da categoria”, frisa o perito técnico Vilson Costa. O nosso Talento é  casado, pai de uma menina, e tem como hobbies ouvir música, praticar o ato de leitura e de pesquisa, tocar violão e cozinhar.  

Confiram reportagens abaixo:

http://g1.globo.com/bahia/jornal-da-manha/videos/t/edicoes/v/tecnica-apurada-especialistas-mostram-como-sao-feitos-os-retratos-falados-na-policia/5943621/

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1727932613914406&id=100000930511925

Banco de Talentos: investigador que exerce cargo de vereador em Belmonte tem como foco a Segurança Pública da cidade

O combate à violência é a principal marca do mandato do vereador policial

Nosso quadro ” Banco de Talentos”, desta quarta-feira(12), homenageia o investigador Alfredo Schuarz Aberceb,  de descendência alemã e árabe, que já foi lotado em Salvador, Simões Filho e Portão até o dia em que se apaixonou pela cidade de Belmonte, localizada no município de Porto Seguro, e protocolou pedido de transferência para o local, que foi efetivado em abril de 2013. ” A cidade é linda demais! Encontro do rio com o mar. O povo é muito receptivo, muito tranquilo! Me apaixonei totalmente pelo local”, declara o investigador, que, após  quase três anos morando na cidade, lançou candidatura a vereador pelo Partido Social Democrático ( PSD) o qual foi eleito com  225 votos.

O foco do mandato do ” vereador Alfredo” gira em torno da Segurança Pública. O vereador policial já conseguiu diversas conquistas para os moradores da cidade como o projeto que visa criar uma Guarda Municipal que já foi aprovado pela Câmara de Vereadores e aguarda ser sancionado pelo executivo, o projeto de “vídeo monitoramento” em parceria com o Centro Integrado de Comunicação (CICOM)  que tem como  objetivo  diminuir a violência no município, que está em fase de finalização e será entregue à população, provavelmente, até 16 de julho, onde serão instaladas 10 câmeras de alta resolução em  locais pré-estabelecidos pela Polícia Civil e Militar com a finalidade de combater a violência no local. O projeto conta com a parceria do Tribunal  Regional do Trabalho (TRT), instituição responsável pela aquisição das câmeras. 

O vereador policial destaca que o delegado Wendel Ferreira é um dos seus grandes parceiros na cidade onde já realizaram sete operações da Polícia Civil que combateram o tráfico de drogas e os crimes de homicídios.  “Só no ano passado, conseguimos prender 36 pessoas. Nós temos 100% dos homicídios solucionados no município de Belmonte com os autores todos qualificados”, comemora o investigador.

O vereador Alfredo possui diversos projetos que obtiveram êxito e beneficiaram a população local através de uma parceria com o Coronel França, como exemplo, cita duas motos que articulou para a Polícia Militar, e um projeto que já encontra-se aprovado e visa construir uma Companhia Militar na entrada da cidade de Belmonte a qual o Coronel França irá  disponibilizar o material necessário à obra e a Prefeitura irá ajudar com a mão de obra e o local será que será cedido, além de ter conseguido implementar uma administração Militar em uma escola do município com o apoio do prefeito Janival Borges. 

Nosso policial que faz a diferença é casado, pai de três meninas,  tem como projeto futuro ser reeleito para dar continuidade ao trabalho que realiza na Segurança Pública da cidade e tem como principais hobbies viajar, curtir um churrasco com os amigos e praticar a atividade da pesca.