Search
segunda-feira 24 abril 2017
  • :
  • :

SINDPOC e demais entidades classistas da Segurança Pública do Brasil participam de protesto em Brasília contra a reforma da Previdência

foto protesto brasilia 1

O SINDPOC, juntamente com as Federações e Confederações de Policiais, participou na terça-feira (18/4) do ato público contra a PEC 287/2016 (que prevê a reforma da Previdência) na Esplanada dos Ministérios, em frente à Câmara Federal, em Brasília.

O protesto, organizado pela UPB (União Policiais do Brasil), reuniu mais de 7 mil policiais (de todos os cargos), entre eles, civis, federais, rodoviários federais, agentes penitenciários e guardas municipais. A manifestação contou ainda com a participação de deputados, que discursaram contra a tal reforma e se comprometeram a votar pela rejeição da PEC na sua íntegra.

Durante o evento, a COBRAPOL juntamente com as demais entidades sindicais da Polícia Civil de todo o Brasil se dirigiu ao setor de protocolo da Câmara Federal para registrar denúncia de decoro parlamentar contra o deputado baiano Artur Maia (PPS-BA), relator do projeto. Maia não deveria sequer fazer parte da comissão para discutir a matéria, já que ele é parte interessada no resultado nefasto que o projeto causará ao trabalhador brasileiro, especialmente o policial civil, tendo em vista que sua campanha nas eleições de 2014 foi patrocinada por empresas de previdência privada.

Após a Câmara se negar a receber a denúncia, houve um tumulto na entrada da Casa conhecida como “chapelaria”, o que desencadeou um conflito entre os protestantes e a polícia que fazia a segurança do local; eles entraram em luta corporal e várias pessoas ficaram feridas. Os manifestantes foram atingidos por bombas de gás lacrimogêneo, de efeito moral e spray de pimenta, e para se defender devolveram os objetos lançados. Depois do confronto, o documento foi protocolizado e a manifestação voltou a discorrer de forma pacífica.

Ascom – SINDPOC

 

 




2 comentários em “SINDPOC e demais entidades classistas da Segurança Pública do Brasil participam de protesto em Brasília contra a reforma da Previdência

  1. RAIMUNDO LUIS DA ROCHA

    Os Policiais Civis não só deve protestar contra a reforma não, deve protestar também contra o Modêlo e o tratamento dispensado há dez anos aos Policiais Civis da Bahia, uma situação já mais vista, desesperadora,sem direito iguais,e a nada tratado como lixo do Sistema sem identidade, sem vencer nada. e o pior que a justiça também faz de conta até dos desvios da Função há 10 anos nisso e o Policial é um Funcionário de bico.que não pode falar e nem protestar, tem que aceitar e pagar a Corrupção generalizada.. hokje gostei do que vi em Brasilia,pra que paralisação se eles botam Delegados e escrivão pra trabalharem a ordem e as cartas vem de lá em cima pra eles para fazer registro, de ocorrência sem respeitar as Paralisações e Policiais de plantão.sem falar no funcionamento da central de flagrante que sempre vai funcionar, a justiça não obriga pagar as urv há 20 anos , e os direitos adquiridos e Constitucionais mais proibe a greve rápidinho, e trabalhar pra eles.desviando Função, acho que cada Policial deve é fazer corpo mole e seguir o Manual..

    Responder
    1. RAIMUNDO LUIS DA ROCHA

      O problema é esse poucos tem coragem de falar a verdade porque eles discriminam,perseguem pune, humilham desmoralizam os Pais de Familia que protege a todos com o Sacrificio da própria vida.que tem que se sujeitar a ver seus Salários, suas vantagens, e seus direitos Constitucionais aviltados há mais de 20 anos.,ora se o Policial tem coragem de trocar Tiros, pegar maluco, passar fome,perder noites, ser discriminados pela Sociedade e pelos Politícos. vai ficar com medo de expor seus sentimentos e a Verdade. a Sociedade e a Justiça. que é a única Esperança de dias melhores.com esse Sistema que está aí.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress