Search
quarta-feira 22 novembro 2017
  • :
  • :

Ruína da 10ª DT evidencia o que restou de uma unidade de polícia

This photo is taken by AllWinner's v3-sdv

Unidade de Pau da Lima é o reflexo do abandono e do descaso

Em continuidade as visitas às delegacias de polícia esta semana a diretoria do SINDPOC esteve na 10ª DT, em Pau de Lima, e ficou estarrecida com a total calamidade em que a unidade se encontra. A visita foi realizada pelo vice-presidente do sindicato, Eustácio Lopes, o diretor jurídico, Claudio Lima e o secretário-geral, Bernardino Gayoso.

Assim que eles chegaram ao local, observaram que alguns policiais de plantão encontravam-se na parte externa oposta à unidade. Quando perguntaram o porquê estavam ali, um policial, que preferiu não se identificar, respondeu: “entrem lá e verifiquem o nosso sofrimento; é um calor insuportável”, disse ao completar que muitas pessoas passam mal em razão do abafamento e desconforto, visto que o aparelho de ar condicionado está parado.

A situação é deplorável. Na sala de atendimento os problemas são inúmeros. A pintura está deteriorada por causa das infiltrações geradas pelas últimas chuvas. As cadeiras e o banco de madeira estão quebrados e a fiação está completamente exposta. Nas outras dependências, a situação não é diferente. Na sala onde o delegado plantonista atende, além dos problemas citados acima, há também vidros quebrados, sujeira, pouca iluminação e grandes buracos nos rebocos das paredes.

Alguns policiais disseram que a precariedade da unidade chegou a sensibilizar uma promotora de Justiça, que se manifestou pedindo providências, porém o Estado e os gestores não demonstraram interesse, preferindo deixar servidores e população utilizando àqueles restos do que seria uma unidade. O delegado plantonista até quis ser gentil com a equipe de sindicalistas, mas não restou alternativa senão pedir desculpas por não poder oferecer um ambiente mais adequado para os usuários.

“O bairro de Pau da Lima é extenso e com um grande número de moradores, que não merecem o descaso do Governo do Estado para com um serviço tão essencial, como é o da 10ª DT; submetendo assim o servidor e também a população ao sofrimento e pesar”, disse Bernardino Gayoso.

Os diretores aproveitaram também para verificar as condições dos equipamentos de segurança individual, como colete à prova de balas, e levou um verdadeiro susto ao constatar que nenhum estava dentro do prazo de validade, o que torna o seu uso bastante perigoso. “Como se já não bastasse toda essa situação lamentável, os policiais ainda sofrem sobrecarga de trabalho em razão do número reduzido de efetivo. Muitos acabam desenvolvendo doenças ocupacionais”, destacou o vice-presidente, Eustácio Lopes ao se dirigir as pessoas que aguardavam atendimento e apresentar desculpas pelo desconforto.

Depois de todo esse levantamento, os diretores irão elaborar um relatório para entregar ao delegado-geral, ao Ministério Público do Trabalho e ao órgão de Saúde Pública solicitando a adoção de providências. “Além de tudo, pudemos notar que a unidade é responsável pelo acúmulo de lixo em um dos corredores, que possivelmente pode estar favorecendo a proliferação do mosquito da dengue”, frisou o diretor Claudio Lima.

Ascom – SINDPOC

Por Michele Coutinho




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress